spot_img

Leia a nossa última edição

Corrida de montanha, um desafio de força, coragem e técnica

Robson Júnior, atleta maricaense, é destaque na competição

Maricá é uma cidade conhecida por suas belas praias e as lagoas,  mas também é cercada por algumas montanhas.  A Serra da Tiririca, a Pedra do Elefante, Pedra do Macaco, Silvado são alguns desses lugares onde atividades podem ser realizadas, atividades como a corrida de montanha.Maricá é uma cidade conhecida por suas belas praias e as lagoas,  mas também é cercada por algumas montanhas.  A Serra da Tiririca, a Pedra do Elefante, Pedra do Macaco, Silvado são alguns desses lugares onde atividades podem ser realizadas, atividades como a corrida de montanha.
A corrida de montanha, além de possuir um lado lúdico devido ao visual, possui uma variabilidade de terrenos e intensidades, dentro de trilhas, provocadas por aclives, declives, riachos, pedras, areias de praia, lamas, paralelepípedos, entre outros. Sendo assim, esta alternância toda provoca um grande desafio, pois, além de uma variação de velocidade, o que é determinante para o praticante, também é necessário ter muita força/potência, aliada à resistência e tolerância à fadiga periférica (muscular) e central (cardiovascular). Esta dificuldade, com certeza, tem sido um dos aperitivos para a superação de novos desafios e ganhos de mais apaixonados por esta modalidade, se tornando um jargão muito comum entre os corredores: “Quanto pior, melhor!”, referindo-se às dificuldades nas trilhas.Um desses praticantes é o corredor Robson  Junior. Formado em educação física, atualmente é estudante de nutrição com mais de 20 cursos na área de treinamento de força. Ele conta que na modalidade da corrida de montanha já participou de todas as etapas do Campeonato Carioca quando foi campeão nos anos de 2015/2016. ” Diferente de uma prova de rua, onde conseguimos traçar uma estratégia média de tempo por km ou “pace” do início ao fim de uma prova, na corrida de montanha não é  tão fácil de se mensurar estas variáveis, devido aos desníveis positivos (quanto irá subir em metros) e aos desníveis negativos (quanto irá descer em metros),definindo assim a altimetria de cada prova”, comentou.

Corrida de monta

Treinamentos

Para dar mais força e resistência para aguentar as competições, Robson Junior pratica o CrossFit.O CrossFit é um programa de treinamento e condicionamento físico, desenvolvido para melhorar as capacidades fisiológicas de qualquer tipo de pessoa, desde atletas de elite, militares, idosos ou jovens. “O cross21 trabalha em melhorar a vida de cada pessoa aqui dentro, seja atleta ou uma pessoa que nunca tenha participado de alguma atividade física. Trabalhamos em preparar o indivíduo para qualquer atividade. Temos duas equipes e vem se destacando nos campeonatos, as nossas equipes não  tem ajuda de ninguém só ajuda dos alunos e do box. No nosso país é muito difícil apoio ao esporte e atletas, em outro países os esportes fazem parte  da grade escolar . O cross21 tentar ajudar todos os atletas da Cidade que não tem ajuda”, comentou.

WhatsApp Image 2017-10-16 at 17.27.06

Tocha olímpica

Robson Pereira Alves Júnior, também foi um dos condutores da tocha olímpica no dia 2 de agosto de 2016 na cidade de Itaboraí ao lado da nadadora Mariana Mello e revela a emoção de participar desta celebração do esporte mundial. “Nem acreditava. Uma vizinha me inscreveu e fui avisado em novembro que havia sido pré-selecionado. A confirmação me deixou surpreso, já que tenho uma curta história no esporte. Poucos têm essa chance de carregar a tocha olímpica e fui um dos selecionados. Foi uma emoção única.”, afirma Robson Júnior.

13934857_1132907026766888_369673292035666880_n

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Últimas Noticias

- Publicidade - spot_img

LEIA MAIS