spot_img

Leia a nossa última edição

Sala Cult lota Cineteatro Henfil em Tributo aos 60 anos da Bossa Nova

2018_10_26_Sala_Cult_Tom_e_Vinicius-KATITO-1447Em comemoração aos 60 anos da Bossa Nova, o projeto Sala Cult, da Secretaria de Cultura, fez o público cantar na noite da última sexta-feira (26/10), no Cineteatro Henfil, no Centro. Com Tributo a Tom e Vinícius, os espectadores acompanharam com a Banda Cult os clássicos “Garota de Ipanema”, “Tarde em Itapoã”, “Corcovado”, entre outros sucessos. Durante o espetáculo, o grupo Nós Dançantes, do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), fez uma apresentação especial para o público.

Aguardando na fila o início do show, a educadora Eliane de Oliveira Dias, de 48 anos, aprovou a iniciativa da Prefeitura em incentivar a cultura de forma gratuita na cidade. “Amo essa cidade, esses projetos que existem aqui e estou sempre acompanhando quando posso”, disse. “Ontem eu estava aqui vendo o filme do Tom e Vinícius e hoje assistindo ao espetáculo. É perfeito!”, completou.

Como parte da programação do Outubro de Bossa, no dia anterior (25/10), a Secretaria de Cultura apresentou no mesmo local o filme “Vinícius”, de Miguel Farias Júnior. A partir da montagem de um show, o documentário retrata a trajetória cultural do Rio de Janeiro através da vida, dos amigos e amores do poeta, músico e diplomata Vinícius de Moraes.

Também esperando o espetáculo começar, a atriz e bailarina Marília Dani, de 64 anos, comentou sobre as escolhas feitas até agora nas edições do Sala Cult. Para ela, a seleção desta edição é uma forma de relembrar o passado. “Nós estamos vendo hoje dois expoentes, mas durante todo o tempo que existiu o Sala Cult, para os jovens, e para as pessoas de minha idade, ele está sendo sempre um ciclo de renovação, de voltar ao passado e rever as coisas. Não só para a minha geração, mas para os jovens também”, relatou.

Indo ao encontro da declaração da atriz e bailarina, o estudante de 16 anos, Alan Caz, reforçou o discurso sobre o interesse dos jovens pela Bossa Nova. “Acho que foi muito importante para evolução contemporânea da música brasileira”, afirmou. “Eu acredito que temos que valorizar artistas como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Toquinho, Cazuza, Renato Russo, entre outros, porque o pessoal perdeu a essência do que é música de verdade. Acho importante mostrar esse lado da música brasileira”, concluiu.

Assim como o jovem Alan Caz, a também estudante de 19 anos, Beatriz Diná comentou sobre o interesse do jovem de Maricá pela arte e pela cultura. “Têm muitos jovens que gostam de arte em geral aqui em Maricá e eles não viam isso ser valorizado, não viam espaços onde podia ter isso. Têm muitas pessoas que gostam de dançar, gostam de música, e agora estão tendo a oportunidade de ver e até de participar disso. Então eu acho ótimo”, contou a jovem animada.

O estilo musical Bossa Nova trouxe alguns números marcantes para a cultura brasileira. A canção “Garota de Ipanema”, por exemplo, é considerada a segunda mais executada da história – a primeira é “Yesterday”, dos Beatles. Foi interpretada ainda por diversos cantores internacionais, como Frank Sinatra, Cher, Amy Winehouse e Plácido Domingo.

2018_10_26_Sala_Cult_Tom_e_Vinicius-KATITO-1449.jpg

Fotos: Katito Carvalho

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Últimas Noticias

- Publicidade - spot_img

LEIA MAIS