spot_img

Leia a nossa última edição

Alunos de escola estadual planejam reproduzir experiência municipal em horta comunitária de Maricá

 

A Horta Pública Municipal do loteamento Manu Manuela continua dando frutos. Desta vez são os alunos da Escola Estadual Elisiário Matta, Centro, que querem implantar projeto semelhante em sua unidade. A diretora da União Maricaense dos Estudantes (UMES), Yeza Aguiar, reuniu no Elisiário Matta representantes do grêmio estudantil e da direção da escola, o coordenador de Soberania Alimentar da secretaria de Economia Solidária, Felinto Procópio (Mineirinho) e o agrônomo da Cooperativa de Trabalho em Assessoria a Empresas Sociais em Assentamentos de Reforma Agrária (Cooperar), Anderson Oliveira. A pauta do encontro foi a implantação do projeto.

O agrônomo da Cooperar aconselhou primeiro os estudantes realizarem uma visita a horta no Manu Manuela para entender a dinâmica do trabalho a ser realizado na escola e escolher qual melhor forma de plantio, se será através de mandala ou de canteiros retos. “É preciso entender que não será apenas o plantio. Tem todo o trabalho de cuidado da horta mesmo. Entre escolher o local e colher existem várias outras coisas como o que plantar e qual a forma de rega a ser implantado”, comentou.

Segundo o aluno Vinicius Bento, 17 anos, a ocupação das áreas de uso coletivo e que não estavam sendo utilizadas foi uma das propostas da chapa vencedora. “Queríamos ocupar estes espaços e deixar nossa escola ainda mais bonita e utilizar o que colhermos na própria escola. Estamos pensando em plantar temperos e chamar todos os alunos”, ressaltou.

A diretora do Elisiário Matta, Ana Cristina Torres, acrescentou que a implantação da horta sempre esteve na pauta da escola, mas que o projeto acabava não acontecendo. Segundo ela, com a escolha do grêmio e a ideia das ocupações o projeto começou a sair do papel. “Na realidade este já era um dos projetos da escola. A proposta do grêmio só veio ao encontro da nossa e resolvemos colocar em pratica. Fico feliz com o inicio do grêmio no Elisiário”, disse.

Ainda não há uma data para a visita até a horta do Manu Manuela conhecer o projeto. Uma reunião entre direção da escola, grêmio e a secretaria de Economia Solidária definirá coletivamente o melhor dia. O secretário Diego Zeidan acredita que o comprometimento dos alunos e direção da escola em desenvolver uma horta no Elisiário é uma demonstração não só de como ocupar espaços mas de transforma-los em experiências de agroecologia e estimulo à alimentação saudável. “Fico feliz em ver os estudantes empenhados em ocupar estes espaços e criar ambientes coletivos para pensar na agroecologia como opção de oferecer à escola alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos”, finalizou.

DSC_0092 (1)

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Últimas Noticias

- Publicidade - spot_img

LEIA MAIS