spot_img

Leia a nossa última edição

Defesa Civil de Maricá libera Cachoeira do Espraiado e Gruta da Sacristia com restrições

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Maricá liberou a Cachoeira do Espraiado e a Gruta da Sacristia para visitação turística e o banho de mar e/ou rio, mas há restrições que precisam ser seguidas.

Placas foram afixadas pelas equipes da Defesa Civil em ambos os pontos turísticos para alertar os visitantes sobre os riscos geológicos e a importância do turismo consciente.

Está proibida a circulação de pessoas em períodos de chuva e/ou ressacas; assim como a montagem de barracas, levar mesa e cadeiras; fazer churrascos e piqueniques; subir ou escalar nas rochas; e mergulhar e ficar embaixo das rochas, pois há risco de quedas.

“Estamos fazendo a liberação da Cachoeira do Espraiado e da Gruta da Sacristia, mas vamos deixar algumas restrições. A Sacristia também fica liberada para visitação e fotos, mas é necessário seguir as orientações das placas e as orientações que os agentes da Defesa Civil. Seguimos trabalhando para o melhor da população maricaense”, explicou o secretário de Proteção e Defesa Civil, Fabrício Bittencourt.

Laudo sobre a Gruta da Sacristia

Segundo a prefeitura, após monitoramento das áreas, vistorias, consultas e pesquisas, os laudos emitidos pelos agentes da Defesa Civil estabelecem as normas, as restrições para o uso e as ações a serem desenvolvidas no manejo dos recursos naturais das Unidades de Conservação e seu entorno.

A região da gruta da Sacristia está inserida no geoparque Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro, que envolve porções litorâneas e abrange desde o município de Maricá até São Francisco de Itabapoana, no norte do estado do Rio de Janeiro. O local compreende áreas de interesse científico, didático-pedagógico, turístico, histórico, pré-histórico e ecológico.

Ainda segundo o laudo, por ser um ambiente natural de grande valor turístico e com legislação que define o uso, proteção e manejo, recomenda-se que o município desenvolva mecanismos permanentes no tocante da prevenção e da conscientização ambiental da região.

Recomenda-se, a alteração do Auto de Interdição (T1005-2022) para o Auto de Notificação da Risco (AN-00G021-2022), além da inserção de placas de cunho educativo para que a população tenha a percepção do risco e não escale os afloramentos rochosos da área.

Laudo sobre a Cachoeira do Espraiado

De acordo com a Defesa civil, na Cachoeira do Espraiado, foi constatada a presença de blocos rochosos em várias partes da margem florestada do canal principal. Há arbustos e árvores entremeados aos afloramentos rochosos e riscos de rolamento de rochas, inclusive, em períodos de baixa ou nenhuma pluviosidade.

Dessa forma, mantém-se a interdição parcial (AI-GT 003-2022) ao público na margem florestada da cachoeira, uma vez que os blocos soltos naturalmente podem representar risco para os turistas no local.Por ser um ambiente natural de grande valor turístico e com legislação que define o uso, proteção e manejo da mesma, recomenda-se que o município desenvolva mecanismos permanentes no tocante a prevenção e a conscientização ambiental da região.

Assim, mantém-se a interdição parcial da cachoeira, além de inserção de placas de cunho educativo para que a população tenha a percepção do risco e não escale os afloramentos rochosos da margem florestada do canal.Vale destacar que, a cachoeira está liberada para banho, permanecendo apenas a margem florestada com acesso proibido.

Mas, sempre que os boletins meteorológicos, elaborados pelos profissionais da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, registrarem “estado de atenção” em Maricá, a interdição de toda a Cachoeira do Espraiado voltará a valer. 

Últimas Noticias

- Publicidade - spot_img

LEIA MAIS