spot_img

Leia a nossa última edição

Lugar de gente feliz

 

A conquista da casa própria é para muitas famílias a realização de um sonho. Em Maricá, essa realidade aconteceu em 2015, onde mais de 3 mil famílias foram beneficiadas com moradias em Inoã e em Itaipuaçu.
Criado em 2009,no Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o programa Minha Casa Minha Minha Vida tem o objetivo de tornar a moradia acessível às famílias organizadas por meio de cooperativas habitacionais, associações e demais entidades privadas sem fins lucrativos.Ligado à Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades, é dirigido a famílias de renda familiar mensal bruta de até R$ 1.600,00 e estimula o cooperativismo e a participação da população como protagonista na solução dos seus problemas habitacionais.

O sonho da casa própria

DSC05902

Uma das pessoas que sempre sonhou em poder ter uma casa própria é a oficineira Eulasenir Araújo, mais conhecida como Ni Araújo. Ela morava em uma casa cedida pelo ex-sogro em Ubatiba e conta que sempre teve um sonho de ter a própria casa, porém achava impossível e esse sonho foi realizado.
“Sou muito grata pelas oportunidades de estar conseguindo realizar meus sonhos. Hoje luto para conquistar uma vida melhor. Agradeço aos líderes de nossa cidade por cada dia nos proporcionar e nos dar esperança de mudança.Estou fazendo pré-Enem. Desde que vim para o condomínio, faço ação social entre os próprios moradores. Um ajudando ao outro. Temos um grupo doando com amor onde as pessoas se ajudam, doando móveis e pertences que não lhe servem.Amo o meu lugar.Uma nova familia”, disse.
Segundo Ni, uma das maiores alegrias de morar é ver a felicidade estampada no rosto das pessoas, podendo voltar a estudar e tendo uma moradia digna. “Nossas crianças têm escola, posto de saúde e mais transporte gratuito.Foi além do que pensamos ou imaginamos”, completou.

A cantora e compositora Linda Baobá, mais conhecida como Bombom morava em Guaratiba, agora vive no Residencial Carlos Marighela em Itaipuaçu.Ela conta que o dia a dia é comum como qualquer outro lugar. Pessoas saindo para trabalhar, crianças indo para a escola, pais indo buscar os filhos no colégio. No final de semana sempre rolam encontros de amigos para trocar ideias, o dia a dia é muito tranquilo.”O meu convívio com os demais moradores é muito bom.
Uma grande parte dos moradores me conhece e são meus amigos.Nos ajudamos uns ao outros sempre que preciso, os que não tenho intimidade, já ouviram ou me viram fazendo meu samba e também nos damos bem”, comentou.

Um cantinho para chamar de seu

DSC05886.JPG

Poder ter um lugar onde pudesse dormir sossegada, sempre foi o sonho da aposentada , 68 anos. Ela morava em Ponta Negra e vivia de maneira bem precária.Atualmente, morando no condomínio de Inoã, ela toma conta dos netos para os filhos poderem trabalhar. “Toda vez que chovia era um tormento para nós. Já perdemos vários móveis. Estou muito feliz em poder estar morando aqui, livre de goteiras . Quero agradecer a Deus pela oportunidade de ter vindo para cá. Uma benção de Deus, temos vizinhos maravilhosos”, comentou.
Procurando resgatar um pouco do tempo em que vivia em Ponta Negra, Dona Maria plantou nos fundos de sua residência guando e maracujá, além de flores no jardim em frente. “Sempre que posso ofereço o que planto aos meus vizinhos. É uma maravilha. Não quero trocar esse lugar por nenhum outro”, disse contente.

Amor aos animais

DSC05931.JPG

Outra que conquistou o sonho da casa própria é a estudante de veterinária Verônica Santos, de 27 anos. Ela mora com uma prima em um dos apartamentos do Condomínio Carlos Alberto Soares em Inoã. Ela morava antes em Ponta Negra e já morou também na Mumbuca. Atualmente cursa a faculdade em Niterói graças ao Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e segundo ela, só tem conseguido manter os estudos, pois recebe o Bilhete único Universitário para poder se descolar de casa até a universidade.
Sobre morar no condomínio, ela diz que se surpreendeu com a receptividade dos moradores.
“Gosto muito daqui, é um ambiente familiar. Fiz vários amigos, são gente muito boa. Além disso, só em não ter que pagar aluguel e comprar uma casa sairia muito caro. Há pessoas que se dedicam e procuramos conviver da melhor maneira possível. Temos problemas como qualquer outro lugar, mas se cada um fizer a sua parte, conseguimos conviver em harmonia”, disse.

Condomínio em movimento

Diversas ações são realizadas nos Condomínios, procurando melhorar a qualidade de vida da população que ali vive. Ações essas que muitas vezes foram tomadas por iniciativas dos próprios moradores.
-Implantação de quebra molas e academias por reivindicação dos moradores, Posto de Saúde, Escola de Educação Infantil, Transporte Vermelhinho, Cinema ( Projeto Cine Henfil), Oficina de Cooperativas .
– Projeto Kung Fu ( Moradores e Coordenação com Apoio da Cruz Vermelha ), Aula de Karatê , Projeto Box Olímpico e Jiu Jitsu ( Iniciativa dos Moradores ), Escolhinha de Futebol ( Iniciativa dos Moradores).
– Aprovação do Projeto Técnico de Gestão Condominial pela Caixa Economia no montante de R $975, 180 para os dois Condomínios do Minha Casa Minha Vida .
-Atendimentos feitos na sede da Coordenação em 2017: 1867 pessoas atendidas. 2018: 623 pessoas atendidas até o mês de abril, não é feito a contabilidade dos atendimentos diretamente no condomínio. Além da atualização do Cartão Mumbuca direto no condomínio e entrega de cartões

 Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Últimas Noticias

- Publicidade - spot_img

LEIA MAIS